A Receita Federal divulgou, na última sexta (27), os resultados da arrecadação real (IPCA) do acumulado do ano de 2016. Segundo o órgão, o montante de quase R$ 1,29 trilhão registra um decréscimo de 2,97%. A arrecadação do respectivo ano, correspondente aos impostos e contribuições sociais, é a menor dos últimos 6 anos, desde 2010.

Os dados representam os reflexos da crise econômica, medidos, em parte, pelo aumento dos níveis de desemprego.

“A arrecadação de 2016 foi fortemente impactada pelo resultado da retração da atividade econômica ao longo do ano, acentuada pela queda do consumo diretamente relacionada ao montante de 20 bilhões arrecadados pelo PIS/Cofins, valor menor do que o acumulado de 2015”, afirmou o Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros, Claudemir Malaquias.

Malaquias também afirmou que a reversão parcial da desoneração na folha de pagamentos refletiu positivamente na recuperação de alguma alíquotas, com ganhos em torno de R$9 bilhões de reais. “Por outro lado, houve uma forte diminuição do nível de emprego e a redução dos postos de trabalho acabou ocasionando uma diminuição das receitas previdenciárias, algo em torno de 14 bilhões”, declarou.

O desempenho positivo nos últimos meses  também “não foi suficiente para reverter o volume arrecadado. E, assim, arrecadamos menos do que em 2015”, afirmou.

Acesse aqui os dados da arrecadação detalhados (arquivo em pdf).